+351 914 567 853

Como fazer uma lista de materiais que funcione para a sua obra

|
Veja também
Guia de métricas chaves para medir o desempenho da construção

Uma das principais problemáticas enfrentadas tanto pelos clientes como pelos arquitetos é definir a lista de materiais ideal para a sua obra. Em resumo, é necessário bastante estudo e organização para que imprevistos possam ser contornados e a sua obra não seja interrompida.

Num primeiro momento, a definição da lista de materiais pode parecer uma tarefa relativamente simples, mas se não realizada de forma consciente e com acompanhamento de um arquiteto e/ou um profissional de design de interiores responsável/eis, pode acarretar um desperdício de materiais, o atraso da sua obra e, principalmente, o seu superfacturamento.

Assim, abaixo estão reunidos alguns dos principais critérios a serem tidos em consideração no momento da elaboração da lista de materiais para a sua obra.

Material de obra

O projeto

O principal critério a ser considerado é, obviamente, a obra a ser realizada. Será a construção de um imóvel num terreno baldio? Será a reforma de uma ou mais divisões de um apartamento? Ou uma alteração de fachada de um prédio comercial? Para cada uma dessas hipóteses, será necessário definir uma lista de materiais específica.

Isto é, dependendo da fase do projeto, a lista de materiais será diferente. Assim, é extremamente importante que tanto o cliente como o arquiteto e/ou o profissional de design de interiores tenham bem definidos qual será a obra a ser realizada antes mesmo de pensar em qualquer outro critério.

A planta

Dependendo do projeto a ser realizado, serão precisos mais ou menos materiais. Para o estudo da planta do local a ser construído e/ou reformado é essencial falarmos na lista de materiais necessários para a sua obra. Com a planta do imóvel, será possível identificar onde ficam as portas e janelas, quais são os formatos de cada área, a disposição, o comprimento e a largura dos aposentos.

Além disso, é a planta do local que irá indicar aos arquitetos e profissionais de design de interiores onde se encontram as canalizações, as paredes estruturais, entre outros. Desta forma, o estudo preliminar da planta do local é essencial. 

Medição

Assim como o estudo da respetiva planta, a medição do local é igualmente necessária para que as informações obtidas pela planta sejam devidamente validadas. Isto acontece com o fim de verificar a existência de mobiliários ou estruturas que não serão alterados com a construção e/ou reforma desejada.

Além disso, é com a medição que será verificado se o imóvel em análise já foi reformado no passado, de forma a ter as suas características e propriedades alteradas. Sem a referida medição, a lista de materiais poderá vir a ser elaborada em desconformidade com a realidade do imóvel, o que poderá gerar grandes prejuízos para o cliente, seja com atrasos, com a necessidade de elaboração de uma nova lista, ou até mesmo com a eventual aquisição de itens em excesso ou em escassez.

Quantidade

Após a planta do local ter sido estudada e depois de realizada a medição do local, é preciso calcular a quantidade necessária de materiais, para a realização da reforma e/ou construção. Por exemplo, se a reforma se referir à troca de pisos de madeira de uma divisão para pisos de azulejo, é necessário calcular a metragem dos azulejos para que eles sejam adquiridos proporcionalmente à referida metragem do local.

Além disso, é recomendável que se realize sempre a compra de materiais em ligeira maior quantidade (normalmente, de 10% a 20% a mais). Isto porque, caso ocorra algum imprevisto, ainda existirá material armazenado e será facilmente recolocado.

Qualidade

Com a quantidade de materiais a serem adquiridos definida, chegou a hora de estabelecer a qualidade dos mesmos – tendo relação direta com o objetivo do projeto. 

É importante observar que a qualidade dos materiais não se refere exclusivamente à sua qualidade de facto (má qualidade ou alta qualidade), mas também às suas características principais – cor, forma, desenho, densidade – que serão sugeridas pelos arquitetos e/ou profissionais de design de interiores e/ou definidas pelos clientes.

Além disso, é neste critério que estão outras características do produto, como por exemplo a sua durabilidade em comparação com demais produtos semelhantes, se este é sustentável para o meio ambiente ou se deve ser de algum fornecedor específico. 

Assim, é imprescindível que todas essas características sejam tidas em consideração no momento da escolha da qualidade dos materiais que estarão na lista de materiais para a obra. 

Preço

Também diretamente ligado à quantidade e à qualidade dos materiais, o preço é um dos principais critérios a ter em mente na hora de elaborar a lista de materiais para a obra. Assim que estabelecido pelo cliente, é importante que os materiais a serem definidos caibam dentro do orçamento do projeto. 

Justamente por isso é recomendável que sejam sugeridos mais de um tipo de material (dois pisos diferentes, por exemplo) para que haja uma comparação entre os valores – possibilitando ao cliente a escolha final.

Logística

Após definida a quantidade e a qualidade dos itens, é importante considerar também como será realizada a logística da entrega desses materiais para a obra. Ou seja, quais os prazos e custos envolvidos com o transporte e frete.

Outro ponto fundamental a analisar é o prazo da entrega. Dependendo do material escolhido, este pode variar e interferir no cronograma de obra do projeto. Também pode ser necessária a instalação por profissionais qualificados – alterando também o orçamento.

Armazenamento

E como serão armazenados os materiais entregues na obra? Dependendo do projeto, como, por exemplo, a construção de um imóvel a partir do zero, será necessário escolher um local para armazenamento dos materiais que serão utilizados protegidos de chuvas, ventos e outros.

Igualmente, materiais mais delicados exigem um manuseio qualificado e um armazenamento em local limpo, seco e sem interferências externas.

Normas ABNT

Por fim, é importante, tanto para o cliente, como para o arquiteto e/ou profissional de design de interiores responsável pelo projeto, que tenham atenção às normas da ABNT para a elaboração da lista de materiais a serem utilizados. 

Isto porque a ABNT estabelece algumas regras sobre produtos relacionados à sua quantidade e qualidade, que devem ser observadas pelos fornecedores.

Material de obra

Conclusão

Em resumo, a elaboração de uma lista de materiais não é uma tarefa simples e deve ser realizada com o acompanhamento de um profissional da área após o devido estudo do local, a fim de evitar quaisquer imprevistos e prejuízos.

É bastante comum que diversas obras sejam interrompidas por falta de materiais em quantidade e/ou qualidade suficientes, ou mesmo que seja necessária a substituição dos materiais já adquiridos por não terem sido armazenados corretamente.

Com a lista de materiais em mãos, será muito mais fácil tanto para o cliente quanto para o arquiteto e/ou o profissional de design de interiores analisar diferentes produtos e orçamentos – e encontrar aquele que mais se adeque ao orçamento e aos fins desejados para a obra.

Blog Moss N Art
Artigos recentes
Receba novidades